I m A g E m

I m A g E m

O velho do espelho

"Por acaso, surpreendo-me no espelho:
quem é esse que me olha e é
tão mais velho do que eu?
Porém, seu rosto...é cada vez menos estranho...
Meu Deus,Meu Deus...Parece meu velho pai -
que já morreu"! (Mario Quintana)

P E S Q U I S A

sábado, 7 de junho de 2008

Feijó grava Busatto e acirra crise

Reportagem Especial




A divulgação pelo vice-governador Paulo Feijó de um diálogo de 22 minutos e 10 segundos com o chefe da Casa Civil, Cézar Busatto, criou um abismo ainda maior entre a governadora Yeda Crusius e seu substituto e aprofundou a crise política do Estado. Na conversa, Busatto diz a Feijó que o Detran e o Daer foram "fontes de financiamento" para todos os governadores.
- Hoje é o Detran, no passado foi o Daer - afirmou Busatto na gravação, citando em seguida o Banrisul.
O comentário do chefe da Casa Civil foi feito em resposta a críticas do vice à forma como o governo do Estado tratou a corrupção no Detran. Feijó entregou a gravação à CPI do Detran, que a divulgou na tarde de ontem.
O efeito nos poderes do Estado foi arrasador. Com um texto manuscrito na mão, o chefe da Casa Civil, Cézar Busatto (PPS), partiu para o ataque ao tentar explicar a conversa gravada com o vice. Na primeira manifestação pública após a divulgação do áudio, ele acusou Feijó de mau cárater, safado e baixo.
- Por que ele quer o meu mal? Porque ele é um golpista que quer dar um golpe para ser governador a qualquer custo, fazendo tocaia e jogo sujo - afirmou o secretário.Apesar da repercussão do fato, Busatto não entregou o cargo e disse que pensará sobre o assunto no final de semana. A governadora se manifestará até domingo.Após consultar um advogado e a família, Busatto deu sua versão à imprensa por volta das 18h30min. Depois de confirmar o conteúdo do diálogo, reclamou da interpretação sobre o episódio:
- A gravação não tem nada que possa me desonrar.
Sob gritos de estudantes que cercaram o palácio, o secretário falou por 20 minutos com jornalistas e teve a entrevista interrompida por um chamado da governadora. Antes de responder a perguntas, Busatto fez um relato sobre o motivo do encontro com o vice e demonstrou indignação.
- Fui em missão de paz para evitar uma CPI do Banrisul. Me sinto vítima de uma armadilha safada e de uma atitude baixa. Ele não é um homem honrado e não está à altura da política gaúcha - disse o secretário.
Indagado sobre a suspeita de que o Banrisul financiaria as campanhas eleitorais do PMDB e o Detran as do PP, como dão a entender suas declarações gravadas, o chefe da Casa Civil respondeu:
- Eu dei o exemplo de como a partilha política é feita e como um governador tem de fazer para poder viabilizar a sua maioria. Ou seja, ele tem de lotear a máquina pública.Busatto complementou:
- Cada cargo em comissão (CC) tem de pagar até 30% do que ganha para sustentar os grandes partidos. Eu abomino isso. Tenho de trabalhar dentro das regras do jogo.
Por volta das 20h, o porta-voz do governo, Paulo Fona, disse que Feijó deve ficar cada vez mais isolado.
- Não há como trabalhar e confiar num vice-governador que chama um subordinado dele, como o chefe da Casa Civil, e grava a conversa - relatou Fona.Na noite de ontem, o porta-voz afirmou que a governadora deve se manifestar até domingo sobre mudanças no primeiro escalão.



Disponível no site da internet do jornal Zero Hora
http://zerohora.clicrbs.com.br/zerohora

Nenhum comentário:

Postar um comentário