I m A g E m

I m A g E m

O velho do espelho

"Por acaso, surpreendo-me no espelho:
quem é esse que me olha e é
tão mais velho do que eu?
Porém, seu rosto...é cada vez menos estranho...
Meu Deus,Meu Deus...Parece meu velho pai -
que já morreu"! (Mario Quintana)

P E S Q U I S A

segunda-feira, 28 de janeiro de 2008

Cultura perde Martins Livreiro



 Porto Alegre, 27 de janeiro de 2008.
O corpo de Manoel dos Santos Martins Livreiro, proprietário da tradicional livraria e Editora Martins Livreiro, foi sepultado no sábado no Cemitério João XXIII, em Porto Alegre. Ele faleceu aos 81 anos em conseqüência de um Acidente Vascular Cerebral (AVC), após uma internação desde 24 de dezembro passado no Hospital Mãe de Deus.
Livreiro desde 1953, fundou a primeira livraria ambulante do RS, percorrendo o Estado em um caminhão. Comercializava livros usados, esgotados e raros. Na década de 80 começou a editar, lançando cerca de 700 títulos em 800 edições de obras diretamente ligadas ao Rio Grande do Sul, numa trajetória sempre a serviço da cultura rio-grandense.
Entre os vários prêmios recebidos, Martins Livreiro, como era conhecido, foi condecorado com a Comenda Simões Lopes Neto, do governo Amaral de Souza (1982); Cidadão Emérito de Porto Alegre (1987); patrono da III Feira do Livro de Cachoeira do Sul (1987), cidade que o homenageou com o Diploma Patrimônio Histórico Cultural da Prefeitura de Cachoeira do Sul (1993) e o samba- enredo do Carvanal de 1995 ‘Martins Livreiro no Universo da Cultura’. Recebeu, ainda, prêmios como o Livreiro Mais Antigo, o troféu Homem Talento RS e o troféu Literatura Gaúcha – MTG (2005).
Sócio benemérito da Academia Rio-Grandense de Letras, receberia o prêmio Imortais, da Casa dos Açores do RS, no próximo 23 de fevereiro. A distinção é concedida em vida às pessoas que realizaram trabalho de destaque na área cultural do RS.


Publicado na Página do Gaúcho, no site 
www.paginadogaucho.com.br


Nenhum comentário:

Postar um comentário