I m A g E m

I m A g E m

O velho do espelho

"Por acaso, surpreendo-me no espelho:
quem é esse que me olha e é
tão mais velho do que eu?
Porém, seu rosto...é cada vez menos estranho...
Meu Deus,Meu Deus...Parece meu velho pai -
que já morreu"! (Mario Quintana)

P E S Q U I S A

quarta-feira, 5 de junho de 2013

Dicas de filmes



Neste blog voce pode acompanhar o resumo e imagens de filmes classicos da história do cinema. O objetivo do blog é chegar a 1.103 filmes. Já está no 125 em ordem cronológica pelo ano de produção. Cinema é tudo de bom. Cultura e diversão.


 O Mágico de Oz (1939)

O feiticeiro de Oz (1939) Victor Flemig

Este é um filme que dispensa qualquer tipo de apresentações, mas ainda assim, vamos escrever o que pensamos dele (a história em si já todos a conhecem concerteza).É sem dúvida, O filme que fez de Judy Garland uma estrela e sem dúvida com todo o mérito.
Outro dos elementos fortes é a sua banda sonora - "We're Off to See the Wizard", "If I Only Had a Brain/Heart/Nerve" - representando cada parte, um dos amigos de Dorothy (Espantalho/Homem de Lata/Leão, por esta ordem) - e a estrela da banda sonora "Over the Rainbow".
Cenas memoráveis, como o da bruxa a derreter "I'm melting, I'm melting", o feiticeiro a ser descoberto através de Toto (o cão de Dorothy) que puxa a cortina e o revela, o tornado (em tons sépia) que dirige Dorothy até á maravilhosa terra mágica de Oz (em Technicolor), entre muitas outras cenas.
É sem dúvida um filme para todas as idades e apesar de se notarem alguns erros é um filme que se aguentou muito bem com a idade. É um miminho de filme e já agora vamos todos, seguir pela Estrada de Pedra Amarela (Yellow Brick Road)?


  Tempos Modernos (1936)

Tempos Modernos (1936)
Modern Times
Charles Chaplin 

Outro filme de e com Charles Chaplin, desta vez os temas vão desde o homem vs. máquina, greves, desemprego (nada que se pareça com os tempos de hoje, por acaso, não é verdade?)   No famoso papel de Vagabundo, ele tenta ajudar uma orfã (acabam os dois por se entreajudarem).
Na época do sonoro, Chaplin fez todo o filme mudo - como aliás se tornou famoso - á excepção de uma cena em que canta (e é uma cena bem divertida por sinal).
Todo o filme, como não podia deixar de ser, é super engraçado e tem cenas hilariantes.
Para ver e para rir, porque rir faz sempre bem.

  Triunfo da Vontade (1934)

Triunfo da Vontade (1934)
Triumph des Willens
Leni Riefenstahl 

Um documentário de propraganda nazi, acerca das "maravilhas" do Nacional Socialismo, onde estão lá todos - Goebbels, Himmler, Speer, entre muitos outros e como não podia deixar de ser o "Deus todo-o-poderoso", Adolf Hitler.
Mostrar a pujança dos jovens e dos homens que o seguem, engradecer a Alemanha e os Alemães (puros) - no fim, uma nota de salientar, os milhares de pessoas que participaram neste comicio em Nuremberg (é de tirar a respiração) - e acaba por ser irónico, que esta cidade tenha sido anos depois palco dos famosos julgamentos aos apoiantes do Terceiro Reich.

 Drácula (1931)

Drácula (1931)
Dracula
Tod Browning
 
Revimos este clássico do terror de Tod Browning e ficámos com a mesma impressão - poderia ser melhor.
Já todos conhecemos a história de Drácula, mas para quem anda distraido aqui fica: Renfield, um agente imobiliário pensa ter um negócio com o Conde Drácula e acaba por ser uma das suas vitimas. Drácula vai para Londres e decide que Mina será a sua próxima vitima, mas o seu noivo e Van Helsing vão fazer de tudo para que Drácula não consiga os seus intentos.
Bela Lugosi está espectacularmente bem no papel de Drácula e Dwight Frye como o insano Renfield (comedor de moscas e afins).
Temos cenas memoráveis, mas algumas patéticas também - vermos os fios a segurar o morcego que voa e o final que poderia e deveria ter sido bem melhor.
Fica sempre a sensação de que este filme poderia ter sido mais bem aproveitado (perdoem-nos os fãs do mesmo).

Outubro (1927)

Outubro (1927)
Oktyabr
Grigori Aleksandrov e Sergei Eisenstein
 
Parece que estamos na fase dos filmes um pouco mais aborrecidos. "Outubro" não foi excepção.Parece um filme sem nexo a imitar um documentário sobre a Revolução Russa.
Não nos conseguiu cativar, achamos tudo muito estranho e algo confuso, mas acima de tudo isso o filme foi mesmo secante.
O único ponto positivo foi a cena da estátua a ser destruida (está muito bem feita).
Esperamos que os próximos filmes nos cativem mais e que esta (má) fase tenha terminado.
* Nota do blog Fazendo  História - Outubro é um classico do cinema realizado na comemoração dos 10 anos da Revolução Russa. Acho que neste caso aborrecido é o comentário original.
 

O Encouraçado Potemkin (1925)

O Couraçado Potemkine (1925)
Bronenosets Potyomkin
Grigori Aleksandrov e Sergei Eisenstein
Tinhamos muita curiosidade em ver este clássico do cinema - muito por causa de tantos elogios que nos foram dando acerca do mesmo. 
As expectativas foram superadas, pois o filme é brilhante. Cenas que ficam na memória e que nos fazem revoltar as entranhas.
Cenas como a carne com larvas, a criança a ser morta e espezinhada, o carro do bébé a cair pela escadaria, e tantas outras (são tantas que tornaria este texto enorme).
O melhor mesmo, é para quem se considera um amante do cinema, tentar vê-lo o mais breve possivel, se ainda não o fizeram.

A Viagem á Lua (1902)

A Viagem á Lua (1902)
Voyage Dans la Lune
Georges Méliès

A nossa demanda começa com esta curta-metragem de 14 minutos.Este é sem dúvida, quanto a nós, o primeiro filme de ficção cientifica e um filme "profeta", pois longe estava a Humanidade daqueles tempos de imaginar que algum dia o Homem poderia, realmente, "pisar" a Lua.
É sem dúvida um filme que qualquer cinéfilo tem que ver, pois apesar de ter sido realizado em 1902 com pouquissimos meios é um filme de qualidade, devido á "carolice" do genial Georges Méliès.
A cena fantástica e provavelmente a mais famosa da Lua a ser atingida pelo foguetão, os "exploradores" a fugirem dos habitantes hostis daquele Planeta... enfim, um filme que entreteve bastante.
Este foi um filme que conseguimos obter rapidamente e é um bom filme para ser adicionado a uma colecção.

Nenhum comentário:

Postar um comentário