I m A g E m

I m A g E m
O Velho do Espelho

"Por acaso, surpreendo-me no espelho:
quem é esse que me olha e é
tão mais velho do que eu?
Porém, seu rosto...é cada vez menos estranho...
Meu Deus,Meu Deus...Parece meu velho pai -
que já morreu"! (Mario Quintana)

P E S Q U I S A

terça-feira, 10 de fevereiro de 2015

27. Feliz aniversário, PT!!!


Neste dia que completas 35 anos quero te dizer que convivo contigo desde teu nascimento. E teu nascimento mudou completamente o rumo da minha vida a ponto de nem imaginar onde eu andaria ou o que estaria fazendo se tu não tivesses nascido. 
Sou mais velho que tu e conheço tuas origens e alguns dos teus ancestrais. És filho do aventureirismo romântico da juventude dos anos 50/60 e da crença idealística de um mundo melhor e igualitário que ao encontrarem-se num momento quase único- porque quase tudo conspirava contra -  insistiram que era chegada tua hora.


Em 1980 e nos anos que fostes gestado, 1978 e 1979, tudo era difícil e mais perigoso,  mas o inimigo era conhecido e nos encarava de frente, não marchava ao nosso lado e não queria nem conversar muito menos governar conosco. Era um inimigo forte e poderoso, de uniforme, coturno e armas, era a ditadura militar, antidemocrática, autoritária e assassina e sabíamos dos cuidados que devíamos tomar. 
Sou de uma geração que trocou parte do tempo das festas e agitos da adolescência por reuniões intermináveis que nos municiavam para a militância estudantil, comunitária, sindical e partidária. Venho de um grupo de jovens e alguns poucos adultos que reuniam-se nas tardes de sábado ou de domingo para ouvir Vandré, Chico, Caetano, Mercedes Sosa e Violeta Parra e para ler e discutir em grupo a Introdução ao Marxismo do Mandel e outros dos chamados textos clássicos.


Sou de uma turma que viveu em São Sebastião do Caí o fechamento de grêmios estudantis e a expulsão de professores da cidade por decisões tomadas pelo diretório da Arena. Sou dessa turma que passou a reunir-se fora da escola com esses professores para discutir as eleições, os candidatos do MDB, a criação do PT, a construção do socialismo, queríamos saber de Cuba , do Chile, do Vietnam, da Nicarágua, da Polônia e de El Salvador. Queríamos saber sobre tudo aquilo que a escola dizia que não devia ser discutido... 


Sou parte dessa geração que acompanhou e viveu tua gestação caminhando na rua e coletando milhares de assinaturas para atender uma legislação jurássica. E para surpresa da ditadura militar tu nascestes e nós te protegemos e embalamos e fostes um filho querido e aguardado das lutas do nosso povo. Naquele período as eleições eram raras e demoravam para chegar. Mas chegaram e apesar das dificuldades de 1982, ficou claro já em 1985 - eleições nas capitais e nas chamadas áreas de segurança nacional -  que tínhamos futuro e nosso sucesso nas cidades foi se espraiando para os estados e para todo País. E o tempo se acelerou e com ele as eleições em 86, 88, 89, 90, 92, 94, 96, 98, 2000, 2002, 2004, 2006, 2008, 2010, 2012 e 2014 a ponto, de hoje, acharmos demasiado e cansativas as eleições a cada 2 anos. 


Quem planta com dedicação em terra boa logo começa a colher e nós colhemos os frutos doces e saborosos do teu crescimento e da tua força. A ditadura se foi, as diretas já ficaram para depois, o colégio eleitoral reprovou a democracia, Tancredo foi, sem ter sido, Sarney virou a casaca e travestiu-se de democrata, os exilados voltaram com  a anistia, o sindicalismo combativo agitou as fábricas e questionou a velha legislação, a CUT, a Assembleia Constituinte, tudo contribuía para que você ficasse cada  vez maior e mais forte. 
Em 1989 a classe operário sonhou em chegar ao paraíso com Lula e acordou no inferno de Collor. Mas isso logo esfriou e passou, como passou o Itamar do fusca e do topete, o FHC custou mais para passar e nos marcou na pele e na memória. Por fim brilhou o sol que já iluminava cidades e alguns estados iluminou todo Brasil com Lula. Lula lá. E aí sim, foi um jogo de gente grande á frente de um dos maiores países do mundo e o jogo foi bem jogado e comemoramos a vitória com Lula e Dilma, duas, três, quatro vezes...


O Brasil retomou um lugar perdido, passou a ser respeitado no exterior e mais amado nas suas ruas e praças. Houveram momentos de tristeza e de dor, momentos de cortar na carne e momentos de julgar e punir. Mas hoje, 10 de fevereiro, é teu aniversário e não vou chorar tristezas e mazelas. Hoje vou comemorar contigo e com a maioria dos brasileiros porque levo comigo a certeza que posso deixar para o futuro e para meus filhos o orgulho de ter participado da construção de um partido político que combateu a fome e a miséria e ajudou a mudar - para melhor - a vida de milhões de brasileiros e brasileiras.


Parabéns PT!!! Longa vida ao Partido dos Trabalhadores do Brasil!!! Longa a vida ao povo trabalhador brasileiro!!!


                                                                                      Gilnei Andrade
                                                                             10 fevereiro 2015. Verão.

Um comentário:

  1. Para mais informações sobre os 35 anos do PT acesse: http://www.fpabramo.org.br/csbhnovo/

    ResponderExcluir