I m A g E m

I m A g E m
O Velho do Espelho

"Por acaso, surpreendo-me no espelho:
quem é esse que me olha e é
tão mais velho do que eu?
Porém, seu rosto...é cada vez menos estranho...
Meu Deus,Meu Deus...Parece meu velho pai -
que já morreu"! (Mario Quintana)

P E S Q U I S A

segunda-feira, 21 de abril de 2008

Observatório NH (I)


Jornal O Popular


Edição nº 01




O ‘Pialo’ de Airton e o rumo do PDT



* Quem acompanha a movimentação política local deve estar surpreso com o ‘pialo’ do ex-prefeito José Airton dos Santos ;
* O ex-prefeito do PDT não caiu do cavalo só uma vez. Em duas ocasiões o PDT manifestou a disposição de não ter candidato próprio. Depois aprovou a indicação de um candidato (a) a vice-prefeito na chapa com o PT;
* A decisão do diretório do PDT, instância partidária legítima para tal, demonstra coragem dos atuais dirigentes e firmeza dos pedetistas que buscam recolocar o partido num rumo popular e trabalhista;
* O ex-prefeito, homem de negócios, acusa a atual direção de estar vendendo o PDT. Mas o real motivo de sua inconformidade é outro: ele não aceita ser rejeitado dentro do partido que pensava ter comprado, pouco antes da eleição de 1996, quando veio de mala, cuia e guaiaca cheia do PRN de Collor de Melo para o PDT;

Alarme no PMDB

* Já no PMDB da Administração Municipal disparou o alarme e a correria para desligar a sirene é grande. As trapalhadas para a nomeação do jornalista Mário Selbach, o super secretário, são prova disso;
* O atual prefeito para garantir a contratação do futuro assessor teceu tantos elogios que parecia estar anunciando a contratação de um prefeito. Só faltou dizer: ‘Agora a coisa vai...’;
* Prá complicar, como alertou sabiamente o Dr. Ruy Noronha e repetiram vereadores de oposição, a Lei aprovada ultrapassa os limites da Lei de Responsabilidade Fiscal e será vetada. O super secretário, apesar das suas mil e uma utilidades, será lotado numa secretaria ociosa ou num cargo de segundo escalão;
* O prefeito já apostou, outras vezes, em "salvadores da pátria". A troca freqüente de secretários e assessores é uma das poucas marcas de sua gestão. Desde que assumiu, em 2005, o prefeito já trocou 11 titulares do primeiro escalão;
* Desse time, com esse técnico, o novo secretário precisa vender boa imagem, divulgar vitórias e construir uma agenda positiva. Nem precisa ser doutor em propaganda e marketing para saber que quando o conteúdo é muito ruim, mudar o papel do embrulho não resolve;

Poucas companhias

* Por coisas como essas é que, apesar dos muitos cafés e jantas, as conversas do PMDB com possíveis aliados estão cada vez mais restritas;
* Mas o que esfria mesmo o café e torna indigesto jantar com o PMDB é que cada um dos convidados já foi vítima de acordos rompidos pelo PMDB. Na política de nada valem os acordos assinados, mas há algo que vale muito: é a confiança, algo que só se perde uma vez;






* Por isso até os tucanos desconfiam do PMDB. Afinal Redecker, o filho, sabe que o PMDB após anunciar aliança com Redecker, o pai, na imprensa estadual (ZH, edição de 03/12/2003, pág. 12) cozinhou o galo (ou foi o tucano) até o início de junho de 2004, quando dispensou o aliado emplumado;
* Desasado, o PSDB teve que improvisar e se jogar na travessia eleitoral embarcado numa canoa furada pela esperteza peemedebista.

Nenhum comentário:

Postar um comentário